Pular para conteúdo

Que tal casar no exterior?!?

Cerimonial
 
 

Ah o amor... Não tem coisa mais linda do que celebrar a união de duas pessoas que se amam e que passarão a compartilhar suas vidas um com o outro... O otimismo, romantismo e as expectativas estão no auge... O amor envolvendo os dois... Ah! Que maravilha...

E se, além disso tudo, vocês casarem no exterior? Já pensou nisso? Pode ser o lugar escolhido para a lua de mel, o país de origem de um dos noivos ou até mesmo a cidade natal da banda que canta a música de vocês... Já pensou?!?!

Tá, é bem verdade que não terá aquele número gigantesco de convidados que vocês imaginaram, mas pode ser uma experiência ainda mais marcante... Principalmente se alguns convidados ainda não conhecerem o país em que será realizada a cerimônia...

Mas vocês devem estar se perguntando, e as pessoas que não tiverem condições de viajar, seja por qual motivo for... Ué, existe uma saída bem interessante e moderna: a transmissão on-line, cujo link (URL) já pode ir, inclusive, especificado no convite, já pensou?

Muitos casais já fizeram essa opção e os destinos mais procurados são os parques da Disney, as praias da Polinésia Francesa ou da Colômbia, ou mesmo, os mais modernos, em uma capela de Las Vegas com um Elvis Presley cover como o celebrante.

 

 

Só que a organização, como já era de se esperar, é muito mais trabalhosa... Mas se você não tem medo de trabalho, pode valer muito à pena.

 

 

Arregaçando as mangas...

Sente com seu amor e as pessoas mais próximas e definam o local. Isso vai dar o pontapé inicial para a realização do ORÇAMENTO e dar início à escolha dos fornecedores do evento.

Elsie Pimentel, cerimonialista da capital paraense, entende que o prazo para os preparativos devem ser de aproximadamente um ano, ou mais, já que são muitos documentos a serem providenciados para que corra tudo às mil maravilhas.

A cerimonialista enfatiza ainda que a religião dos noivos também é um dos fatores fundamentais na hora de definir o local da união, tendo em conta que “é preciso verificar celebrantes e templos daquela crença para a realização do matrimônio e se os noivos não se importam em ter uma certidão de outra religião, se for o caso.”

Um exemplo é o casamento realizado nos Estados Unidos, que provavelmente terá uma certidão de casamento protestante, que é a que predomina no país.

E o clima... Outro fator de extrema importância, caso vocês não queiram ter convidados derretidos ou congelados em sua celebração...

Também é necessário checar se os pombinhos podem realizar as bodas naquele local e se querem que o matrimônio siga as leis brasileiras, ou se querem apenas registrá-lo no Brasil, quando retornarem.

 

Parte legal

Importa ainda ter em mente que, segundo o artigo 32 da Lei de Registros Públicos, o casamento realizado no exterior será considerado autêntico nos termos da lei do país de celebração... Ou seja, se não é válido perante as autoridades locais, também não terá validade no Brasil.

Um bom exemplo disso são os casórios BELÍSSIMOS ocorridos nas paradisíacas praias da Polinésia Francesa, por exemplo, que são apensa simbólicos...

Por isso, antes de preparar as malas e investir tempo, dinheiro e emoção na organização do matrimônio, é preciso checar se ele poderá ser legalizado no nosso País quando os pombinhos voltarem da lua de mel!

Cada nação também exige documentos específicos, como certidão de nascimento traduzida, cópia de passaporte e, até mesmo, exames de sangue. É preciso checar a quantidade correta de documentos, se precisam estar interpretados em outro idioma e a validade de cada um deles, o que pode ser agilizado pela cerimonialista ou agência de eventos contratada, que deve ter experiência nesse tipo de evento, já que, por exemplo, as certidões devem ser providenciadas em até, no máximo, três meses antes do grande dia para que o enlace possa ter validade legal.

 

 

Por isso, vários cerimonialistas aconselham que os enamorados celebrem a união civil em terras nacionais e a cerimônia religiosa com a recepção, no exterior. Ou fazer um casamento civil com efeito religioso lá fora e depois apenas apresentar a certidão no cartório dentro do tempo correto para validá-la, que é de 180 dias. Olho no prazo!

 

Prestadores de serviço

Com a documentação e vacina (se for o caso) em dia e, verificadas as formas de pagamento aceitas e a moeda local, é chegada a hora de pensar na cerimônia em si e em todos os seus detalhes. Você já está cansada(o)????? Nem pense nisso! Vamos lá, mãos à obra!

Mas calma que você pode contar com ajuda dos deuses... Um(a) cerimonialista ou uma agência de organização de eventos para cuidar de casamentos no exterior faz toda a diferença! Mas atentem para o fato de que alguns locais determinam que o(a) cerimonialista e os fornecedores da comemoração sejam daquela região, como no caso dos casamentos realizados na Disney....

Por isso, é bom verificar se dá para contar com o seu assessor ou se ele pode trabalhar em conjunto com um profissional estrangeiro. Além disso, dependendo do que você pense para o evento, você pode levar tudo daqui (lembrancinhas, docinhos, assessor) e deixar apenas as flores e o Buffet a cargo dos profissionais de lá... Que tal?

 

 

Malas prontas para o retorno??

Então, foi tudo perfeito?? Maravilha! Mas o trabalho não acabou... (eu bem que avisei lá em cima!)

Lembre-se que o casamento somente passará a ter efeito em nosso País a partir da data da sua realização, se for registrado em até 180 dias, a contar da volta de um ou de ambos os cônjuges ao Brasil.

 

Fim e começo se encontram

Olha só, nem foi tão complicado assim, se conseguirem manter os corações quentes e as cabeças frias... Isso foi só um preparativo para a vida a dois... Se vocês conseguem isso, vocês conseguirão muito mais, afinal, a vida será feita de decisões tomadas a dois...

Sejam imensamente felizes!

 

Lara Iglezias - OAB/PA 12.721

Cel: 91-8333-0880

Fanpage: https://www.facebook.com/itdpadvocacia?fref=ts

Site: www.itdp.adv.br

Qualificação da autora:

• Graduada em Direito pela UNAMA em 2005;
• Membro da Comissão Jurídica Nacional da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União;
• Assessora Jurídica do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal nos estados do Pará e Amapá desde 2008;
• Graduada em Administração – Comércio Exterior pela UNAMA em 2002;
• Consultora em gestão administrativa e planejamento operacional;
• Consultora em gestão em comércio exterior.

 


comments powered by Disqus